Gramado, Canela e Cambará do Sul

 

E lá fui eu, nas asas da promoção da Gol, para um feriadão na charmosa serra gaúcha, que apesar de corrido, foi ótimo e ressaltou a necessidade que um casal tem de tirar um tempo sozinhos. Afinal, é muito normal, viagem com outros casais, ou com filhos ou com parentes...

 

Chegamos no sábado e retornaríamos na segunda em voo noturno e o tempo seria mais que suficiente para Gramado e Canela, sem atropelos, mas eu queria muito conhecer os cânions de Cambará do Sul e, portanto, as coisas ficaram meio corridas.

 

Escolhi um voo cedinho, que chegou ao Aeroporto Salgado Filho por volta das 10:00, às 10:30 já estávamos na locadora para pegar o carro e seguir rumo à serra, com parada na bonitinha cidade de Nova Petrópolis para almoço. Apesar de todos comentarem o quanto é perigosa a BR-116, eu particularmente não achei, até mesmo porque estou acostumada em dirigir em lugares desconhecidos e vale o visual do caminho, pois são várias alamedas e muitas hortênsias. É por essa estrada que entramos em Gramado pelo famoso pórtico, divulgado nos cartões postais.

 

Em Nova Petrópolis, cabe uma visita ao Parque dos Imigrantes e à praça central, onde há o famoso labirinto (que também não é aquilo tudo...). Almoçamos em um restaurante em um pequeno shopping praticamente em frente ao Parque, self service honesto com boas carnes e preço acessível.

Como o tempo era curto e já chegamos a Gramando na parte da tarde, nem fomos diretamente ao hotel, já paramos no Parque Mini Mundo e no Lago Negro, onde o entardecer é simplesmente maravilhoso!!! Dica nº 01: experimentar o chocolate quente da lanchonete de lá... é dos deuses!

 

O Parque Mini Mundo tem um objetivo bastante interessante, que é demonstrar através de maquetes, locais do mundo inteiro, porém há muito em relação à Alemanha (acho até que por conta da colonização), mas senti falta daqueles locais mega conhecidos, tipo Torre Eiffel, Louvre, Pisa, Vaticano, Corcovado, Big Ben, Muralhas da China... sei lá... mas nesse caso, minha expectativa focava no óbvio.

 

Como Gramado está voltada para o turismo gastronômico, foram surgindo vários pequenos locais de entretenimento para garantir ao turismo mais atividades, como a Parque Knorr (Aldeia do Papai Noel) que tem uma belíssima vista do Vale do Quilombo, o museu de cera (longe de ser um Madame Tussaud), o Harley Motor Show (museu das famosas motos Harley Davidson que também funciona como pub), o Hollywood Dreams (museu de carros antigos), Super Carros (exposição de carros esportivos, onde há opção de dirigir uma ferrari, por 15Km pela bagatela de R$ 890,00).


A distância entre Gramado e Cambara do Sul é de 114Km, percorridos através de uma estrada em excelente estado de conservação e valeu cada metro percorrido para visita aos canions. Começamos pelo canion Itaimbezinho, no Parque Nacional da Serra Geral, que fica a 18 km do centro de Cambará. A partir do Centro de Visitas, uma trilha de 6km nos leva ao entorno do canion, com vista de 80% das formações.

 

Retornamos ao centro de Cambará e almoçamos em um local super pitoresco com uma comidinha muuuuuuuito boa, chamado Galpão Costaneira. Depois do almoço, pegamos mais 23km de estrada até o Canion Fortaleza, no Parque Nacional da Serra Geral.  Fico imaginando aquele lugar com sol, já que é lindo mesmo com neblina.E o retorno para Gramado? Tranquilo e numa estrada ainda mais charmosa do que a que pegamos na ida.Clique aqui para mais detalhes sobre Cambará do Sul.Segunda-feira e dia do retorno, acordamos cedinho para visitar Canela sobre a luz do dia, já que comemos lá na noite anterior, numa pizzaria temática mega espetacular: a Toca da Bruxa.A catedral de pedra é linda durante o dia, mas a iluminação noturna é demais!!! As cores mudam de tempo em tempo, mas a lilás é a mais fashion!!Canela, vizinha de Gramado, tem opções mais naturais de visita: o Parque da Ferradura e o Parque do Caracol, além da catedral e da vinícola Jolimont.

 

Pegamos a estrada rumo à Porto Alegre no meio da tarde, o voo saía às 19:30 e o engarrafamento homérico em Canoas quase nos fez perdê-lo. Em suma, o feriado era só para os cariocas, os gaúchos sofrem com o trânsito como todos os brasileiros residentes em capitais.